Mais uma entrevista do mundo feminino comediante no BRASIL...
E e obvio que nossa DIVA não estaria de fora...

http://oglobo.globo.com/cultura/revistadatv/mat/2010/06/03/mulheres-ganham-mais-espaco-em-humoristicos-debatem-seus-papeis-nas-atracoes-916784767.asp

 

 

Entrevista O GLOBO

Humor de saias

Chegou a vez das mulheres invadirem a praia dos homens nos programas humorísticos  MARCO BEZZI, marco.bezzi@grupoestado.com.br

 

Elas parecem estranhas no meio de um mar de testosterona. O meio humorístico sempre foi repleto de homens e suas piadas sexistas, de duplo sentido. Mulheres que ousaram ultrapassar essa barreira acabaram se tornando cenografia de luxo, muitas vezes mais dispostas a mostrar o corpo do que para provar que podiam fazer humor inteligente. Havia, sim, exceções. Mas eram raras: entre elas, gente como Fafy Siqueira, Nair Bello, Cláudia Gimenez e Aracy Balabanian.

O clube do bolinha do humor, entretanto, começa a ser invadido pelas mulheres. O lado cor-de-rosa da arte de fazer rir tem crescido, graças ao talento de figuras como Dani Calabresa, Miá Mello, Monica Iozzi, Katiuscia Canoro e Tatá Werneck. Todas elas surgem em um momento em que, nos Estados Unidos, a comediante Tina Fey se tornou a dona do humor, conquistando prêmios pela sua sitcom 30 Rock, como o Globo de Ouro e o Emmy. "Homem pode fazer todo o tipo de piada, se sacanear, mostrar o barrigão, falar que é impotente. Ninguém vê problema nisso", diz Dani Calabresa, da MTV. "Com a mulher é diferente. Temos a obrigação de estar sempre bonita, arrumada. Essa é uma limitação que está começando a ser quebrada", completa.

Monica Iozzi, única mulher no semanal CQC (Band), diz que sua adaptação ainda está em andamento. "A equipe toda é formada por homens. Não só na frente das câmeras, como atrás dela. Às vezes, tenho de adaptar um texto para que ele tenha um toque mais sensível, para que sirva mais para o meu jeito de falar", diz Monica. "Nunca foi o meu objetivo nem o meu desejo fazer o mesmo papel de um homem no CQC."

Katiuscia Canoro, do Zorra Total (TV Globo),vê a fantasia de humorista como uma maneira de despojamento. "Tenho essa liberdade, brinco com a minha personagem. Posso ficar feia e gostosa com a Lady Kate", diz ela, sobre seu personagem. "O que as pessoas não imaginam é que fazer comédia é muito mais difícil do que fazer drama. Estar em cena e ter de tirar o riso da plateia é sempre um desespero."

Tatá Werneck, da MTV, é uma das neófitas entre as moças humoristas. Entrevistada pelo JT pouco antes de gravar o Comédia MTV, a carioca de 26 anos comemorava o fato de estrelar seus dois primeiros programas na TV. "Para mim, é um sonho realizado". Do mesmo canal de Dani Calabresa, a humorista espera um dia dividir uma atração com a colega. "É claro que adoraria ter um programa só meu. Mas ainda é muito cedo".

Tatá é uma das comediantes favoritas de Miá Mello, que, como as demais mulheres desta reportagem, preferem ser chamadas de atrizes que fazem humor. "Não me considero humorista e, sim, uma atriz que está fazendo humor. Quero trabalhar com outros gêneros", diz Miá. Sobre as críticas ao programa Legendários (Record), no qual faz a repórter Teena, Miá contra-ataca. "Tem gente que, mesmo sem ser especializado em TV, se acha no direito de fazer análises complexas sobre o nosso trabalho. Escuto as críticas e as uso para tentar melhorar", conta.

Séries dos EUA

Outra ligação entre quase todas as humoristas é a referência nas séries americanas. Dani cita Friends. Tatá ama The Office e Monica Iozzi adora o ácido e astuto Dr. House. Fora dessa turma está Katiuscia, que, na verdade, não gosta de comédia. "Não assisto a nada atualmente. Todas as minhas referências são da infância: Jô Soares, Chico Anísio, Os Trapalhões", garante.

Tatá fala da série mexicana Chavez: "Fui cobrir o encontro do Seu Barriga e do Kiko, vestida de Chiquinha, e me emocionei. Chorei muito", diz. "Gosto dessas coisas toscas, das pegadinhas do Silvio Santos. Acho que é por isso que tenho dificuldades para encontrar namorados", conta.

Dani Calabresa, namorada do comediante Marcelo Adnet, diz que sua rotina é insana. "Antes, eu conseguia escrever um texto novo por mês. Agora não tenho mais tempo. Gravo o Comédia e o Furo durante a semana. Tenho eventos nos finais de semana e o espetáculo Comédia Ao Vivo, às sextas-feiras. É difícil conciliar trabalho, família e relacionamento", acredita.

Difícil também é viver da paixão que fez todas essas mulheres seguirem carreira artística. "É impossível viver de teatro no Brasil", dizem todas. Enquanto Calabresa continua com seu stand-up pelo País, Katiuscia fez uma pausa em 2010 e Monica Iozzi estuda textos para montar uma peça em São Paulo. "Eu tenho lido muito. Quero dar vazão ao meu lado atriz", fala Mônica. Só não pode parar de fazer a gente rir.




Dani Calabresa
MTV

Nome: Daniella Maria Giusti
Barra, 28 anos.
Programas: ‘Furo MTV’
e ‘Comédia MTV’.
O que fazia antes: ‘Comédia Ao Vivo’, no teatro, e ‘ Sem Controle’, do SBT.
Referências: ‘Friends’, ‘Cheers’ ‘Sai de Baixo’, TV Pirata’ e ‘Family Guy’.


Tatá Werneck    
MTV

Nome: Talita Werneck, 26 anos.
Programas: ‘5ª Categoria’ e ‘Comédia MTV’.
O que fazia antes: teatro, cinema e parte do grupo de improviso Deznecessários.
Referências: a versão americana do ‘The Office’,
‘Chavez’ e ‘Pegadinhas Picantes do SBT’.


Monica Iozzi
Band

Nome: Monica Iozzi, 28 anos.
Programa: ‘CQC’.
O que fazia antes: teatro e cinema de curtas-metragem.
Referências: ‘Os Trapalhões’, ‘House’ e ‘TV Pirata’.


Mia Mello
Record

Nome: Marilia Penariol Mello,
29 anos.
Programa: ‘Legendários’.
O que fazia antes: teatro, no grupo Deznecessários.
Referências: ‘TV Pirata’,
Regina Casé, Fernanda Torres,
Marco Nanini, Ney Latorraca
e Woody Allen.



Katiuscia Canoro
Globo

Nome: Katiuscia
Canoro, 31 anos.
Programa: ‘Zorra Total’.
O que fazia antes: ‘Mulheres de Chico’, ‘Contadores de Histórias’ e
‘Nós Amamos Humor’, no teatro.
Referências: ‘Os Trapalhões’, Jô Soares e Chico Anísio.